quarta-feira, 3 de março de 2021

JOGO POLÍTICO, ROUBO E VERBAS PÚBLICAS

 


A pandemia não começou agora, não é mais novidade, há um ano ela chegou para bagunçar a vida de todos, e os Governadores, como uma orquestra afinada, resolvem impor Lockdown, uns abertamente, outros, covardes que são, de forma dissimulada.  Eles culpam toda população pelo agravamento do vírus, mas sabemos que 0,001 % da sociedade é que promove aglomerações em festinhas inconsequentes.


As máscaras da vovó sabemos que são muito mais um símbolo de engajamento do que proteção e não é isso que vai evitar a proliferação.  Portanto, ao atribuir a culpa ao povo em geral, eles se escondem de suas responsabilidades como gestores, escondem que não conseguem ou não querem reprimir eventos clandestinos.  Passaram 12 meses com ações, medidas coercitivas, regramentos unilaterais e não assumem sua irresponsabilidade e fracasso administrativo.


Receberam milhões para enfrentar o Corona e os atos mais efetivos sobrevieram da iniciativa privada, sendo um mistério o destino do dinheiro público, enquanto o MP faz de conta que não vê, omitindo-se vergonhosamente, beirando à prevaricação.  E mais, segundo os Governadores, a partir do momento que a culpa é d'todos, ninguém tem culpa, e se ninguém tem culpa, nenhuma pessoa específica pode ser responsabilizada, e muito menos agentes públicos.


Você que se cuida, que se protege, que se preocupa, é culpado nos olhos dos políticos e você aceita passivamente.  Uma tática velha e manjada para fugir, para tergiversar e enrolar o povo com frases prontas de efeito, enquanto as medidas deviam ser de ação, elas se baseiam na omissão.


sábado, 20 de fevereiro de 2021

DANIEL SILVEIRA PAGOU O PREÇO DE TER BOLAS NUM PAÍS DE CAPADOS


 


Sofisma é um argumento ou raciocínio concebido com o objetivo de produzir a ilusão da verdade, que, embora simule um acordo com as regras da lógica, apresenta, na realidade, uma estrutura interna inconsistente, incorreta e deliberadamente enganosa.


Pois bem, todo mundo sabe que a não libertação do deputado Daniel Silveira significa a aniquilação da independência do Legislativo e o abrir de pernas desavergonhado para a tirania do Judiciário. E qual foi o sofisma pronunciado por Arthur Lira em relação ao caso?


O crime foi ter xingado um filho da puta de filho da puta, ter pedido para fechar o que precisa ser fechado, ou ter feito um projeto de lei limitando o poder de censura das Big Techs?


Bem, talvez este sofisma funcione com algumas pessoas cujo QI não ultrapassa dois dígitos.


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

SUPREMO TRIBUNAL DA FARSA


Ao manter a prisão de Daniel Silveira por unanimidade, o STF fechou suas muralhas. Não foi por convicção, mas como uma demonstração de força e corporativismo. Usaram uma técnica antiga de guerra medieval. Fechando-se num grupo unido, fica difícil para o "inimigo" atacar. Fizeram isso em defesa de Alexandre de Morais, num claro recado a todos: "Não toque em nenhum dos nossos!"


Esse exemplo deveria ser seguido pelos covardes e pusilânimes deputados federais e senadores, para mostrar aos 11 ministros que a banda não toca assim. Se não fossem tão covardes e tão vagabundos - muitos comprometidos com a justiça até a raiz dos cabelos, os parlamentares já estariam a essa hora discutindo o impeachment dos 11 de uma só vez, e em algumas horas já teriam feito uma faxina no STF.


Se Daniel Silveira tivesse explodido um banco, roubado armas, matado soldados, sequestrado um avião, ou tivesse feito justiçamentos em nome de uma ideologia, hoje estaria sendo aplaudido pelo que há de pior, vil e mais canalha na sociedade brasileira.


O STF estuprou o devido processo legal, assassinou o princípio da ampla defesa, e com seus discursos quer fazer a ocultação do cadáver. Qualquer parlamentar que concordar com essa atitude poderá ser qualificado como cúmplice, e espero seja que sentenciado na próxima eleição.


Deixaram o Daniel Silveira ser entregue aos abutres. Daniel, força! Melhor estar preso por estar certo do que estar solto por ser corrupto!


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

O CARECA DO STF MATOU A CONSTITUIÇÃO

 



Desde o mensalão, em 2005, já com maioria dos ministros indicados pelo LuloPetismo, o supremo tribunal federal passou a fazer política, deixando as atribuições de justiça em segundo plano. Passaram a fazer justiça partidária, relativisando votos conforme os personagens e transformando o órgão de justiça em um guichê de reclamações de partidos como o Rede, PCdoB, PSOL, PT e  seus satélites.


Com a entrada de Alexandre de Moraes, indicado por Temer e aprovado por senadores do centrão, o supremo tornou-se mais autoritário, passando a ameaçar a população e perseguir a liberdade de expressão, protagonizando atos esdrúxulos para desestabilizar o atual Governo, como o caso de acatar denúncias de espionagem de reuniões privadas do executivo pelo ex juiz Sérgio Moro e tentando encurralar o presidente limitando seus poderes administrativos.


Com a saída de Rodrigo Maia e David Alcolumbre a blindagem dos ministros do STF virou uma casa de ovo.

Intensificaram o autoritarismo judicial tentando controlar a composição do legislativo e o do executivo, interferindo tacitamente na composição dos poderes e impondo a censura a quem crítica a sua postura nada republicana. Sim, agora há a quem recorrer de uma ditadura do judiciário: o senado da república e a composição livre das comissões do legislativo.


A prisão do deputado federal Daniel Silveira é um cabo de guerra montado pelo capa preta Alexandre de Moraes, tendo como comparsas Edson Fachin, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. O alvo é dobrar a coluna vertebral do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. Os capa pretas querem controlar o Poder Legislativo, o Congresso Nacional, Câmara dos Deputados e Senado Federal.


Que o Brasil não tem Estado de Direito todo mundo sabe. O que pouca gente sabe é que o Estado de Direito não existe porque temos uma constituição esquizofrênica, um supremo tribunal que é uma bagaça, um legislativo que é uma gangue, um executivo que parece a corte de Luis XVI e Maria Antonieta e uma democracia que atropela todos os direitos individuais inalienáveis. O que sobra para o povo? Ora, o que sempre sobrou, a conta para pagar os privilégios que ele mesmo pede. A mentalidade que reina no país nos diz que esse caos é o que o país merece.


Atacar e ofender o presidente não tem problema. Agora falou dos ditadores do STF vai preso. A hipocrisia do judiciário, a bandidagem subiu no poder tomou o judiciário do Brasil pelas portas do STF. Se alguém dúvida é só ver a quantidade de despachos desses ministros soltando os maiores bandidos, traficantes e criminosos pela porta da frente. Infelizmente o STF é o que mais protege a marginalidade do Brasil e quem fizer críticas a esse poder ditador dos seus ministros será preso. 


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

PROFECIA E POLÍTICA

 


A política pode ser interpretada por meio de suas teorias, desde as mais cínicas até as mais ingênuas, ou pode ser executada a partir de um realismo cru e lógico.


O aspirante a político que tenta aplicar na política real o que aprendeu na política teórica, em breve estará de volta à política teórica para continuar dizendo que sabe tudo da política real.


Teorias e histórias da política servem apenas para comprovar o que qualquer pessoa normal já sabe: a política é previsível a curto prazo, geralmente imprevisível a médio prazo, e totalmente imprevisível a longo prazo.


A curto prazo é fácil "prever" o que vai acontecer. Afinal, se o sujeito já se jogou do vigésimo andar, até um jornalista é capaz de assegurar que ele vai se espatifar no chão nos próximos segundos. Foi assim que muitos "previram" a vitória de Arthur Lira na Câmara, quando toda a vagabundagem esquerdista já chorava lágrimas de sangue.


A análise da política de médio prazo é a arte de ouvir na porta do prédio um burburinho sobre uma tragédia que vai acontecer, e tentar adivinhar o que é e com quem ocorrerá. 


E a de longo prazo é ficar na frente do prédio, tendo apenas informações do passado para tentar adivinhar o futuro.


Ninguém foi capaz de prever que um frequentador de sopas de caridade em Viena abalaria o mundo com seu Terceiro Reich.


Ninguém imaginava que nosso país seria governado por um molusco cachaceiro e por uma estocadora de vento; e que em seguida teríamos no mesmo cargo um presidente conservador, corajoso e honesto.


E quem, alguns anos atrás, seria capaz de prever essa fraudemia mundial? Quem teria sido capaz de anunciar que haveria legiões de retardados com máscaras e clamando por vacinas contra um vírus de baixíssima letalidade, enquanto destroem seus próprios meios de subsistência e denunciam vizinhos?


Claro que a imprevisibilidade da política não impede que seus players façam suas jogadas, seus planos, suas apostas e suas vendas promocionais de esperanças e ilusões.


domingo, 7 de fevereiro de 2021

OS JUSTICEIROS DO BBB

 


A histeria “progressista” coletiva quer cancelar Shakespeare, pois os justiceiros alucinados acusam Romeu de ser um abusador de Julieta. Eles são seres broncos e patológicos, contudo, não deixa de existir uma lógica por trás do véu da ignorância.


A frase de Hamlet, do mesmo Shakespeare, “Ser ou não ser, eis a questão”, é reveladora, uma vez que é o emblema da hipocrisia humana. Essa turma de justiceiros sociais da mentira, julga o comportamento dos outros, porém faz exatamente aquilo que recrimina nestes mesmos outros.


Esses variados bandos dissimulam uma moral superior em seus grupelhos específicos, buscando pertencimento e aprovação, por meio da farsa de tentarem ser aquilo que todos sabem que eles não são. 


A verdadeira identidade é recheada de egoísmo e dissimulação. Que são raivosos hipócritas, isso qualquer ser pensante já viu.

Estaria eu mentindo? O BBB 2021 está aí escancarando esta realidade. Desta forma, a exacerbação do politicamente correto, tem deixado aparente à falsidade e a inveja dessas turmX!


Shakespeare, com Hamlet, tem toda a razão. Eles não são! São genuínos hipócritas que se auto violentam e constrangem aos outros!

Essa bomba-relógio vai explodir, só não tenho o relógio para precisar o momento. Aguardemos.


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

OS MERDAS

 


Kim Kataguiri gravou um vídeo onde se comprometeu a "pessoalmente transformar o plenário num inferno, num lugar ingovernável". Diante de uma declaração tão contundente que basicamente propõe fazer terrorismo dentro da Câmara dos Deputados, não seria o caso de uma representação na comissão de ética?


O povo brasileiro não paga, e caro, salários e mordomias para deputados e nem para manter a estrutura gigantesca da Câmara, que sem ele já parece um circo,  para que um palhaço de quinta categoria venha querer colocar fogo na lona.


Se o Kim Kataguiri não tem a mínima noção de que o seu papel e o seu compromisso como Deputado é elaborar propostas de melhorias para o Brasil e para os seus eleitores, e não se portar como um menino birrento que mostra toda a imaturidade e o despreparo para a vida pública, então não serve para estar lá porque trai os princípios que defendia em sua campanha.


A Câmara pode até ser um covil, mas o povo não precisa de um idiota infantil para representá-lo.


E pegou fogo o cabaré...


As imagens da festa em comemoração da vitória de Arthur Lira mostrou uma Joice Haselman desengonçada fazendo o "passinho da maluca" e com uma vulgaridade que chega a impressionar. 


Essa é aquela mesma a Xoice que alardeia moral? Moral de pole dance de boite de beira de estrada acho que não vale. Aliás, diga-se de passagem. as moças que fazem pole dance em boites de beira de estrada (muitas que são mães de deputados) dançam muito melhor que ela.


Pelo menos ela está treinando para o que poderá fazer após terminar seu mandato único...