quinta-feira, 20 de junho de 2019

MORO, O NOSSO XERIFE ūüėé


O escopo desse texto não é examinar o teor das conversas vazadas, mas sim o método. Estamos falando de invasão de privacidade ao aparelho celular de um ministro de estado. Essa invasão não está respaldada por uma autorização judicial como foi no caso dos grampos de Lula e Dilma, portanto é uma INVASÃO ILEGAL.
O que me impressiona √© a comemora√ß√£o dos bandidos pol√≠ticos que por raz√Ķes √≥bvias s√£o contra Moro e a Lava Jato. 
Exigem agora uma CPI e que Moro seja afastado! 

Rid√≠culo, s√£o os bandidos exigindo a pris√£o do xerife. Vamos imaginar a seguinte situa√ß√£o: Que os procuradores invadam, SEM AUTORIZA√á√ÉO JUDICIAL, todos os celulares e e-mails de "suas excel√™ncias" os deputados? Como seria o discurso? ah..isso n√£o pode, isso √© ilegal, jamais seremos investigados com provas obtidas ilegalmente! Vamos instalar a CPI DO HACKER. Pois √©, os c√£es ladram e a caravana passa! A bandeira do combate √† corrup√ß√£o j√° vestiu a alma do povo brasileiro h√° muito tempo, o trem partiu da esta√ß√£o e n√£o tem volta! 

QUEM TEM MEDO DO MORO ??????

N√£o precisa ser muito esperto para ver o quanto o suposto esc√Ęndalo dos textos hackeados do ministro Moro √© picuinha. A mat√©ria do Intercept √© um embuste expresso de forma hist√©rica que nada tem de relevante para o andamento, tanto das investiga√ß√Ķes da Lava-jato, quanto dos destinos do pa√≠s.  Nem a Bolsa de Valores se deu ao trabalho de sentir o tamanho do esc√Ęndalo. Basta ver onde foi que repercutiu de forma escandalosa e quem teve chilique com essa mat√©ria. Tipos sem qualquer credibilidade como Ricardo Noblat, M√īnica Bergamo,  Globosta, Veja, Folha, Isto √Č e toda esgotosfera. Os mesmos de sempre! 

O que choca essa gente √© que procuradores tentem evitar que os BANDIDOS mais nocivos da hist√≥ria do mundo voltem ao poder. √Č de fato um esc√Ęndalo. Quem foi financiado por essa quadrilha, tem todos os motivos para estranhar o comportamento dos procuradores. A m√≠dia sempre foi conivente e, quem sabe, at√© benefici√°ria desses esquemas de corrup√ß√£o!