quinta-feira, 20 de junho de 2019

VEM A√ć MAIS UM GOLPE DO PREFEITO DE PATOS SALES JUNIOR ūüí£


Nem mesmo as pondera√ß√Ķes e considera√ß√Ķes que o Sr secret√°rio de finan√ßas (reserva moral desta transi√ß√£o pol√≠tica patoense), Arnon Medeiros , faz ao prefeito em exerc√≠cio  Sales Junior mudar de ideia quanto a romper contrato de Coleta de Lixo com a empresa Conserv. 

O contrato em vig√™ncia com a citada empresa ainda prev√™ cl√°usula que permite sua renova√ß√£o autom√°tica por um per√≠odo de 12 meses. Vejam que o vice prefeito que renunciou , Bonif√°cio Rocha, responsavelmente manteve o contrato, apenas cancelou servi√ßos outros que o contrato rezava para promover um custo menor diante da crise financeira da Prefeitura.  A empresa Conserv demitiu cerca de 60 funcion√°rios que cuidavam do corte de √°rvores , pintura de meio fio e capinagem dos matos. Tudo isso por economia diante da crise. 

Agora, sem querer respeitar contrato, inclusive a Prefeitura devendo milh√Ķes sem transpar√™ncia, o prefeito interino tenta impor √† revelia a outra empresa alegando para tanto pre√ßo menor de custo.  Reza a boa f√©, que se sua Excel√™ncia tivesse agido com boas e devidas inten√ß√Ķes, promoveria um debate p√ļblico com a presen√ßa de autoridades e do pr√≥prio presidente da empresa Conserv na C√Ęmara Municipal de Patos. 

Ora, nada mais oportuno para  conhecer planilhas de custos do que a realiza√ß√£o de um debate p√ļblico com a presen√ßa das autoridades competentes, incluindo o Minist√©rio P√ļblico como institui√ß√£o de fiscaliza√ß√£o dos atos da Prefeitura. 
Se n√£o fosse os Senhores  Vereadores atenciosos e respons√°veis, o prefeito interino teria cometido um ato criminoso ao doar terrenos p√ļblicos sem discutir abertamente a conveni√™ncia ou n√£o de faz√™-lo. 

A empresa Toyota, grande marca de ve√≠culos internacional, instalou-se em Patos sem solicitar do munic√≠pio nenhuma bonifica√ß√£o para tanto!   J√° o Sr Siduca, criminosamente tentou aprovar invas√£o de terrenos alegando investimentos de outras marcas automotivas.  √Č preciso que exista o devido processo legal para qualquer atividade requerida ao ente p√ļblico, no caso, a Prefeitura de Patos. 

O contrato da empresa Conserv tem a homologa√ß√£o por parte do Tribunal de Contas do Estado, √≥rg√£o institucional que avalia juridicamente a legalidade de atos dos poderes executivos Municipal e Estadual.  Da√≠ toda especula√ß√£o em torno dos interesses que estariam por tr√°s desta corajosa e desafiadora medida que o prefeito vereador Sales Junior quer tomar. 

A crise pol√≠tica de Patos precisa chegar ao fim.  Este Vereador Prefeito n√£o re√ļne condi√ß√Ķes de continuar √† frente da Prefeitura! Os Senhores Vereadores, digo, os independentes, precisam formar uma comiss√£o suprapartid√°ria e imediatamente comparecer ao presidente do Tribunal de Justi√ßa pedindo agilidade no julgamento deste impasse do afastamento do prefeito eleito, Dinaldinho Filho.   Est√° a√≠ para uma devida reflex√£o de todos, um dos atos infelizes do Sr Prefeito interino! √Č muito triste o fim dos festejos juninos decretada √† revelia da popula√ß√£o. A cidade ficou no preju√≠zo econ√īmico e social!


Por √ļltimo, devemos esclarecer para a opini√£o p√ļblica, inclusive de maneira toda especial  para o Minist√©rio P√ļblico, que o Sr Adrailton Leandro, engenheiro oficial da Prefeitura de Patos, √© o respons√°vel direto por toda fiscaliza√ß√£o urbana da cidade.  N√£o ser√° mera coincid√™ncia se o mesmo tiver dado o aval para que o empres√°rio Siduca ocupasse ilegalmente os terrenos que tenta legalizar.