quinta-feira, 20 de outubro de 2022

O TSE SE TRANSFORMOU EM TRIBUNAL DE EXCEÇÃO, POLÍCIA POLÍTICA E ORÁCULO DA VERDADE, TUDO AO MESMO TEMPO, SOB O COMANDO DE UMA PESSOA INTELECTUALMENTE MEDÍOCRE, ETICAMENTE FLÁCIDA E IDEOLOGICAMENTE COMPROMETIDA.


 


Ladrão / Ex-presidiário / Cachaceiro / Molusco / Nine / Trevoso / Descondenado / Barba / Diabo de Garanhuns / Mijão / Pai da Mentira / Alma Mais Honesta do Brasil / Estuprador de Cabras / Mão Leve / Chefe de Quadrilha / Corrupto / Sapo Barbudo.


As proibições impostas aos conservadores pela coligação de esquerda, formada pelos partidos políticos TSE, STF, PT e PSOL, são tantas e tão variadas que já está na hora dos censores lançarem um manual para orientar os censurados. O título e subtítulo podem ser assim: MANUAL DA CENSURA - Saiba o que você pode dizer sem correr o risco de ser preso, desmonetizado ou multado. A capa, naturalmente, precisa ser preta e com uma estrela vermelha no centro, e no lugar do selo editorial a marca do órgão publicador: MINISTÉRIO DA VERDADE.


Eu preciso ser como sou; sincero, até em demasia! Prejudiquei-me no passado em função desse meu “atributo”. Toda essa justiça “à la carte”, a falácia das tais fake news, tem o explícito propósito de beneficiar o ex-presidiário, bandido de estimação de grande parte dos de capa preta do STF e da mídia militante, sem o controle das narrativas e sem os gordos recursos das tetas estatais.


No quesito tropeço nas palavras, asneiras, mentiras, invenções, ataques ad hominem, baixarias, utopias, sei lá mais o quê, o Presidente e o molusco estão quase empatados. Como diria meu falecido pai: “eles se equimerdam”. O Presidente, embora tosco, parece-me sincero.  Já o ex-presidiário, em que pese alegar sua finesse, mente compulsiva e ardilosamente, auxiliado por sua escassez de instrução e cultura, sua idade mais avançada, e seu notório perfil ébrio.


Evidente que a CENSURA - DE UM SÓ LADO - é cretina e destruidora. Portanto, o quesito básico, levando-se em conta que, meu juízo, essa eleição será decidida pelo menor índice de rejeição, trata-se de quem preza - mais - os valores virtuosos do código moral. Se numa situação hipotética, você tivesse que hospedar em um aposento de sua casa, que dispõe de um cofre sem chave, o Presidente atual ou Luiz Inácio da Silva, quem você escolheria?


Uma das minha únicas paixões é o vinho. Não sei de Bolsonaro aprecia, mas seguramente, não convidaria para uma boa degustação e conversa, o demiurgo de Garanhuns.


As razões SÃO MAIS DO QUE ÓBVIAS.